+MISTURADO

+Misturado Disco vencedor do Grammy Latino 2017
Melhor Disco de Samba/Pagode
FACEBOOK
INSTAGRAM
TWITTER
DEEZER
ITUNES
SPOTIFY
BANDSINTOWN
© 2018 Mart'nália.
Todos os direitos reservados.
Design by graphiarium
Menino do Rio

MENINO DO RIO

2006

Sobre o Álbum

O quinto disco de Mart’nália, “Menino do Rio” mistura no repertório uma parceria de Mart’nália com Moska, um samba feito por Jorge Aragão e Fred Camacho em homenagem à filha de Martinho da Vila, um tema obscuro de Guilherme Arantes e um samba baiano de Martinho. A faixa-título é de autoria de Caetano Veloso e fez sucesso em 1980 na voz de Baby Consuelo.

Direção:Maria Bethânia
Direção Musical:Jaime Alem
Data de Lançamento: 02/02/2006
Mídia: CD
Gravadora: Quitanda / Biscoito Fino

Letras

01 Pra Mart'nália

O samba corre em minhas veias
O samba é a minha escola
Se levo um samba do Candeia
Ou do Paulinho da Viola
A D. Ivonne incendeia
E o Martinho é quem/ me consola
É luz que sempre me clareia
E a minha emoção decola

Eu canto samba porque, só assim
Eu me sinto contente
Quem é do mar não enjoa
Amor não é brinquedo...
Foram me chamar
Eu estou aqui o que que há...
Mas foi lá em casa que eu descobri esse segredo

Eu sou da Vila
Não tem jeito
Comigo eu quero respeito
Sou filha da Anália também
Malandro não vem, que não tem

Nas ruas, calçadas, tantos bacharéis
No chopp gelado, do ponto sem réis
Me lembro tantos menestréis
Sempre balançando o arvoredo
Modesta a parte quem nasce na Vila
Aprende mais cedo...

Escola de versos e revéis,
Com Ferreira e grandes sambas-enredos
Modesta a parte quem nasce na Vila
Aprende mais cedo...

Autoria: Fred Camacho / Jorge Agrião
Editora: Universal Music Publishing Brasil Ltda

Partitura

02 Nas Águas de Amaralina

Fui pra's águas do mar de Amaralina
com mágoas de mais em cima
Aos meus sonhos juntei perfume e flores,
desejos, temores

Prometi novamente voltar pra's águas
Se a força do mar me vingasse as mágoas
Esperei, me curvei
e na terceira onda entreguei pra Jana
Ína, meu amor!
Vaidosa e brejeira, Mãe menina

Janaína ê ê Janaína...
Devolveu perfume e flor, que sina!

Mas, um velho me falou
Que Jana jamais bancou
Vinganças no desamor e então,
voltei ao mesmo lugar,
com peito aberto sem dor
Aí o meu coração sarou

Ína, meu amor!
Vaidosa e brejeira, Mãe menina

Autoria: Martinho da Vila / Nelson Rufino
Editora: ZFM / Universal Music Publishing Brasil Ltda

Partitura

03 Só Deus É Quem Sabe

Eu não sei guardar ressentimentos
Eu hoje lembro com ternura
cada momento
Promessas de nós dois naqueles dias
O tempo transformou-as
em palavras vazias
Às vezes a paixão nos traiu
Às vezes foi a voz que mentiu
Mas nada disso importa
O que vale é o que a sorte escreveu

Só Deus é quem sabe do amor
Eu não sei nada
Só sei que a vida nos prepara
cada cilada
E é inútil se tentar fugir
da longa estrada

Autoria: Guilherme Arantes
Editora: Gapa (Warner Chappell)

Partitura

04 Pot-pourri Menino Do Rio / Estácio, Holly Estácio

Menino do Rio
Calor que provoca arrepio
Dragão tatuado no braço
Calção, corpo aberto no espaço
Coração de eterno flerte
Adoro ver-te

Menino vadio
Tensão flutuante no Rio
Eu canto pra Deus proteger-te

O Hawai seja aqui
Tudo o que sonhares
Todos os lugares
As ondas dos mares
Pois quando eu te vejo
eu desejo o teu desejo
Menino do Rio
Calor que provoca arrepio
Toma esta canção como um beijo

/

Se alguém quer matar-me de amor
que me mate no Estácio
bem no compasso
bem junto ao passo
do passista da escola de samba
do largo do Estácio

O Estácio acalma os sentidos
dos erros que eu faço
trago não traço
faço não caço

o amor da morena maldita
domingo no Estácio

fico manso amanso a dor
Hollyday é um dia de paz
solto o ódio mato o amor
Hollyday eu já não penso mais

Autoria: Caetano Veloso // Luiz Melodia
Editora: Gapa (Warner Chappell)

Partitura

05 Cabide

E se eu fingir e sair por aí na noitada,
me acabando de rir
E se eu disser que não digo, e não ligo, e que fico
e que só vou aprontar
É que eu sambo/mando direitinho assim bem miudinho,
cê não sabe acompanhar/sei que você vai gostar
Vou arrancar sua saia e pôr no meu cabide
só pra pendurar
Quero ver se você tem atitude
e se vai encarar

E se eu sumir dos lugares, dos bares, esquinas
e ninguém me encontrar
E se me virem sambando até de madrugada
e você for até lá
É que eu sambo direitinho assim bem miudinho,
cê não sabe acompanhar
Vou arrancar sua blusa e pôr no meu cabide
Só pra pendurar
Quero ver se você tem atitude
e se vai encarar

Chega de fazer fumaça, de contar vantagem
Quero ver chegar junto pra me juntar
Me fazer sentir mais viva
Me apertar o corpo e alma me fazendo suar
Quero beijos sem tréguas
Quero sete mil léguas sem descansar
Quero ver se você tem atitude
e se vai me encarar.
E se eu fingir e sair por aí na noitada,
me acabando de rir
E se eu disser que não digo, e não ligo, e que fico
e que só vou aprontar
É que eu sambo/mando direitinho assim bem miudinho,
cê não sabe acompanhar/sei que você vai gostar
Vou arrancar sua saia e pôr no meu cabide
só pra pendurar
Quero ver se você tem atitude
e se vai encarar

E se eu sumir dos lugares, dos bares, esquinas
e ninguém me encontrar
E se me virem sambando até de madrugada
e você for até lá
É que eu sambo direitinho assim bem miudinho,
cê não sabe acompanhar
Vou arrancar sua blusa e pôr no meu cabide
Só pra pendurar
Quero ver se você tem atitude
e se vai encarar

Chega de fazer fumaça, de contar vantagem
Quero ver chegar junto pra me juntar
Me fazer sentir mais viva
Me apertar o corpo e alma me fazendo suar
Quero beijos sem tréguas
Quero sete mil léguas sem descansar
Quero ver se você tem atitude
e se vai me encarar.

Autoria: Ana Carolina
Editora: Armazen (Tribo)

Partitura

06 Boto Meu Povo Na Rua

Pra te ganhar
Dei sujesta em vagabundo
Dei a volta pelo mundo
Eu mergulhei fundo sem medo de errar
E você fica nessa querendo esnobar
Meu amor que é tão profundo
Ta na hora de parar com isso
Eu jogo um feitiço pra te apaixonar

Tomara que você me entenda
Ou eu faço oferenda
Pro meu orixá
Já é hora de parar com isso
Ou eu jogo um feitiço pra te apaixonar

Eu escrevo teu nome menina
E despacho na esquina
se o santo mandar
ta na hora de para com isso
Ou eu faço feitiço pra te apaixonar

Eu boto um litro de cachaça
Farofa de mel e dendê
Na rua onde você passa
Feitiço pra amarrar você

Que a minha vida não tem graça
Não quero/posso mais viver assim
Então deixa de pirraça
Eu quero teu amor pra mim

Se até dez horas da noite você não voltar
Eu boto meu povo na rua pra te procurar
Se até dez horas…
Se até dez horas da noite você não voltar
Eu boto meu povo da rua pra te procurar

Minha paixão é verdadeira
Eu quero você por inteira…

Autoria: Arlindo Cruz / Acyr Marques / Ronaldinho
Editora: BMG

Partitura

07 Sem Perdão A Vida É Triste Solidão

Lá vem
Você dizer pra mim que quer voltar
Conheço o texto agora e sem piscar
Os olhos vermelhos de mar
Teatro barato, impostor
Chantagens de amor eu não posso mais aturar
Já conheço e bem

Lá vem
Você jurar que não tem paz
Que a vida meio assim tá ruim demais
Não pode mais viver sem mim
No mundo não há mais lugar
Esqueço a semana passada
E as largas/longas noites sem dormir

Vem me abraça, deixa assim
Sem perdão é só tristeza em solidão de amor
Que ultrapassa meu portão
Tudo aqui tava vazio e sem razão...
Vem me abraça, deixa assim
Sem perdão a vida é triste solidão amor
Ultrapassa meu portão
Tudo aqui tava vazio coração…

Autoria: Mart'nália / Ana Costa / Zélia Duncan
Editora: Gege Edições (Brasil e América do Sul) e Preta Music (Resto do Mundo) / Universal Music / Duncan Edições

Partitura

08 Soneto Do Teu Corpo

Eu juro, eu juro
Eu juro, eu juro

Juro beijar teu corpo sem descanso
Como quem sai sem rumo pra viagem
Vou te cruzar sem mapa, nem bagagem
Quero inventar a estrada enquanto avanço

Beijo teus pés
Me perco entre os teus dedos
Luzes ao norte
Pernas são estradas
Onde meus lábios correm a madrugada
Pra de manhã chegar aos teus segredos
Vivo em teus bosques
Bebo em teus rios
Entre teus montes
Vales escondidos
Eu faço fogueira, choro, canto e danço

Línguas de lua
Varrem tua nuca
Línguas de sol
Percorrem tuas ruas

Eu juro beijar teu corpo
Eu juro beijar teu corpo
Eu juro beijar teu corpo
Sem descanso

Autoria: Moska / Leoni
Editora: Sony (Cazulo) / Warner Chappell

Partitura

09 Pretinhosidade

Sim, você sabe de mim
Quando eu não tô afim
Quando eu só quero brincar
Não, sim/mas sim, mesmo que eu diga não
Você não me desdiz, mas me chama atenção

Vamos lavar toda a roupa suja
E mergulhar de cabeça
nos armários da ilusão

Riscos vem à tona
Eu pareço um otário
Com você que é uma pedra em meu caminho
Minha pedra preciosa
Minha preciosidade, minha preciosa idade
Minha presa
Minha fé silenciosa, meu atalho ,meu destino
Minha pretinhosidade, minha festa
Minha seta, minha flecha

Autoria: Mart'nália / Mombaça
Editora: Gege Edições (Brasil e América do Sul) e Preta Music (Resto do Mundo) / Nossa Música

Partitura

10 Essa Mania (Rest La Maloya)

Hoje o meu coração mudou
Já não sei por quem vim, quem sou
Mas sinto e sou capaz
E o resto tanto faz
Foi só eu descansar
Junto ao pé de uma arvore que me acolheu
E depois me ocorreu
Vi que a vida que vivia em mim
Agora vive aqui nesse lugar
Em volta das sombras
Essa ilha é a reunião das infinitas direções
Que o vento traz com as ondas
E é quando me vejo a garimpar
As pedras, a montanha, o seu olhar
Rest la maloya, Rest la maloya,
Rest la maloya, Rest la maloya,/ Rest là-même
Essa menina, essa menina, essa menina Essa menina vem me dizer
Apesar de saber
Que nem tudo que eu quis eu pude conhecer
Nem deu pra mais prazer
Se cheguei até aqui
Bem no topo do vulcão, não posso mais descer
Mas tem como escorrer
Porque a natureza do amor
Está contida na beleza e na surpresa das manhãs
Dias que parecem tão iguais
Mas de repente vem sinais de uma nova magia
Depois desse encontro singular
O mato, o rum, o vinho, o mel e o mar
Essa menina, essa menina, essa menina
Essa menina vem me dizer
Rest la maloya, Rest la maloya,
Rest la maloya, Rest la maloya,

Autoria: Alain Peters
Versão: Mart'nália / Moska
Editora: Gege Edições (Brasil e América do Sul) e Preta Music (Resto do Mundo) / Sony (Cazulo) / Cobalt Melodie

Partitura

11 Pára Comigo

Já é tarde
Eu não vou mais dormir
Eu vou sair sem direção
Talvez na solidão
Eu possa ser mais feliz

Madrugada
Que aos pouquinhos vem chegando
Sorrindo, cantando
E esperando por nós dois
Pra curtir

A madrugada, madrugada…

Não posso mais finjir/fugir
Nunca deixei de amar
A lua me disse assim
E eu só vim confirmar

Não posso mais fugir/finjir
Nunca deixei de amar
A lua me disse assim
Vem comigo e pára

Pára comigo, pára
Pára comigo, pára
Pára, comigo…
A madrugada

Autoria: Mart’nália / Paulinho Black
Editora: Gege Edições (Brasil e América do Sul) e Preta Music (Resto do Mundo) / Nossa Música

Partitura

12 Casa 1 Da Vila

Aluguei a casa 1 da Vila
Meu amigo mora em frente
E a mulher desse amigo
Anda arranjando tempo quente

Senta a me provocar
Olha a me conquistar
Sorri a me convidar…
Até um cego pode notar

Eu sinto sede
Eu sinto fome
Mas mulher de amigo meu
Pra mim é homem

Autoria: Monsueto / Flora Matos
Editora: ADDAF

Partitura

13 Casa Da Minha Comadre

Samba é na casa da minha comadre
Minha comadre, minha comadre
Terno de reis é com a minha comadre
Minha comadre, minha comadre
Sacode é com a minha comadre
Minha comadre, minha comadre
ƒesta do divino é com a minha comadre
Minha comadre, minha comadre
Jogo do bicho é com a minha comadre
Minha comadre, minha comadre
Briga de galo é com a minha comadre
Minha comadre, minha comadre
Embolada na feira é com a minha comadre
Minha comadre, minha comadre
Rede macia é com a minha comadre

Pra meu carro de boi
Minha comadre
Num tem atoleiro
Minha comadre
Num tem onda forte
Minha comadre
Pra meu saveiro
Minha comadre
Num tem mulher nova comadre
Prá levar meu dinheiro

Salve a comadre!
Deus benza
E Deus guarde a comadre
Salve a comadre!
Deus benza
E Deus guarde a comadre

Autoria: Roque Ferreira / Jorge Agrião
Editora: Universal Publishing

Partitura

14 São Sebastião [part. Maria Bethânia]

São Sebastião
Tua cidade tem as curvas
Quais as curvas de um nobre violão
Não será razão de tanta música bonita
Ter-se feito em sua mão
Oh! Pai Odé
Protege as matas que circundam esse altar
Que da maré vazante ou cheia
Já se ocupa Yemanjá

São Sebastião do Rio flechado
Em seu peito atravessado
Pelas setas dos seus filhos
Queira a Deus que os meninos
achem a trilha nos seus trilhos
inspirados na beleza do seu verde e seu anil
e mereçam a cidade estandarte do Brasil
E que outros mil poetas
Venham te cantar meu Rio

São Sebastião
Tua cidade cor de rosa
fez da prosa um belo samba de noel
Se eu fosse Gardel cantaria um tango
pelo tanto dos encantos de Isabel
Oh! meu São Tomé se alguém dúvida
passe os olhos pela Urca e o Sumaré
Onde a Imperatriz beijou a flor
Porta-bandeira da cidade mais feliz

São Sebastião do Rio flertado
Ribeirão puro encantado
Sol no casco dos navios
te naveguem as mais belas
e os mais belos dos bravios
Nessas águas que fizeram de Machado
suas letras imortais
Entre copas de Salgueiros e Mangueiras tropicais
E que novas musas venham te inspirar a paz

Autoria: Totonho Villeroy
Editora: BMG

Partitura

15 Origem Da Felicidade

A Alegria é o alimento da alma
Alegria é nossa grande inspiração
Alegria recompensa os sacrifícios
Alegria soberana decisão

Alegria recompensa os sacrifícios
Alegria soberana decisão

Tempera o teu medo com a esperança
Inclina essa balança a teu favor
Alegria é a origem da felicidade
Acredito que o samba é o criador

A Alegria é a origem da felicidade
Acredito que o samba é o criador

Autoria: Celso Fonseca
Editora: Fermata

Partitura